dezembro 15, 2014

A França é o lugar ideal para estudar Enologia

Que produto, além do queijo e da baguette, representa mais a França do que o vinho?

O vinho já foi um símbolo da França e aparece em várias gravuras de confraternização histórica dos franceses, vindo de todas as camadas sociais. O vinho, de fato, ocupa um espaço dentro do imaginário francês. Alban Sumpf disse que “beber o vinho da Nação se assemelha a um ritual cívico, que lhe faz pertencer a ela”, como “uma consciência coletiva de pertencer a uma mesma comunidade”.

O vinho ocupa um lugar importante na economia francesa

Além dessa imagem estereotipada, o vinho ocupa na economia francesa um lugar significativo. Por exemplo, em 2005, 3,02% das terras agrícolas na França eram dedicadas à vinicultura. O vinhedo é cultivado em 80 dos 96 departamentos metropolitanos (o departamento é uma subdivisão das regiões na França). Sobretudo, o vinho é importante na economia: ele representa 15,4% das produções agrícolas.

O vinho significa consumo nacional e internacional. Ele é geralmente associado à gastronomia francesa (o melhor jeito de aproveitar uma boa refeição no restaurante, entre familiares ou amigos). A Enologia também tem um papel turístico que ela retroalimenta graças a cursos voltados a ela e a visitas às grandes propriedades.

O enoturismo na França

Primeiramente, o turismo “vinícolo” ou “enoturismo” se desenvolveu na França, e já há viagens organizadas inteiramente sobre vinho e a sua produção. O leque proposto é bastante amplo e vai da simples degustação dos diversos tipos de vinho francês até cursos/estágios com estadia na propriedade para uma melhor inserção na produção do vinho.

Estudar Enologia na França

O vinho também pode ser estudado em escolas e universidades francesas. Em Bordeaux (região Sudoeste) existe um Mestrado Enologia e Meio Ambiente na Bordeaux Segalen – Faculté d’œnologie Villenave-d’Ornon. É possível ingressar tanto no primeiro quanto no segundo ano de Master (Pós-graduação). Essa formação é feita em parceria com a Universidade Bordeaux I e acaba em um estágio durante o quarto semestre.

Essa mesma universidade oferece a possibilidade de se fazer um Diploma Universitário (DU), cuja carga horária é muito mais leve, com uma duração de um ano. Trata-se de uma iniciação à enologia.

Para quem procura uma formação mais profissionalizante, há uma Graduação profissional (Licence Pro) que forma para as “Profissões da Vinha e do Vinho”. Durante esta graduação há vários estágios no terreno e em empresas aliados a um projeto tutorado.

Enfim, existe na Universidade Montpellier I um Master Comércio dos Vinhos em parceria com a escola SupAgro.

Em uma outra região vinícola, a Bourgogne, o Instituto Universitário do Vinhedo e do vinho (Institut Universitaire de la vigne et du vin) oferece uma Graduação Ciências Tecnolgias e Saúde, com foco em uma formação profissional da vinicultura.

Todos os vinhos têm a sua particularidade, o seu público, a situação em que deve ser tomado e o seu jeito de ser bebido. Assim fala um dos ditados franceses: “O Bourgogne deve ser bebido de gravata, o Bordeaux de gravata borboleta, mas o Beaujolais de gola aberta” (ditado do Beaujolais).

Parte integrante da nossa cultura e gastronomia, venha saborear a vida francesa nas nossas regiões degustando um copo de vinho!

Você também pode se aproximar da cultura francesa! Venha conhecer essa pequena França no Brasil: o IFESP!!

Seja o primeiro a saber

Assine nossa Newsletter

Thank you for your message. It has been sent.
There was an error trying to send your message. Please try again later.

One Comment

  1. LUIZ CELSO CALVI 13 de novembro de 2016 at 20:57 - Reply

    GOSTARIA DE INDICAÇÃO DE CURSO DE CURTA DURAÇÃO ( 2 SEMANAS) DE FRANCÊS VOLTADO A GASTRONOMIA E ENOLOGIA.
    OBG

Leave A Comment