dezembro 4, 2014

Como estudar engenharia na ICAM Toulouse, na França

Fundada em 1898 em Lille, hoje existem várias unidades da ICAM, que apareceram nas décadas 80 e 90 no território francês, polonês e africano. Em suas sedes, encontramos alunos, aprendizes, corpo docente, estagiários e técnicos. A ICAM organiza reuniões para trocar ideias entre as gerações. Assim, é possível compartilhar experiências profissionais e pessoais e desenvolver sua própria rede de conhecimentos.

Os fundadores jesuítas da ICAM deixaram costumes, como o Experiment, uma viagem obrigatória de quatro meses durante a formação. O aluno adquire através da viagem o espírito de conhecimento de si – mesmo, o que o ajudará a sentir-se autônomo. Isto também gera uma rede potente, pois as viagens proporcionam que os Icamiens (alunos da ICAM) estejam no mundo todo!

Há também a famosa “Nuit ICAM”, das 21 horas até o amanhecer, com até 10 shows ao vivo. Os próprios alunos a organizam com meses de antecedência, procurando parceiros financeiros. Uma semana é dedicada à decoração da escola e dos bares que servirão os alunos durante a noite.

O diploma da ICAM é conhecido como Ingénieur Généraliste (Engenheiro Generalista). Aqui no Brasil seria como Engenheiro de Produção, Mecânica ou Mecatrônica, depende da especialização do aluno nos estágios. O papel dele é ligar as coisas entre si nas empresas. Na produção ou P&D, compras, vendas técnicas, automatização, informática… e muito mais.

No Brasil, dá-se preferência aos que tem uma pós-graduação. É bem visto aquele que teve varias matérias na formação, o que permitirá um entendimento geral da empresa e uma boa comunicação entre os serviços. Também o deixa capaz de tomar uma decisão mais objetiva nos momentos de crise.

A ICAM em números

  • 120 anos de experiência
  • 300 professores e pesquisadores
  • 4000 alunos, aprendizes e estagiários
  • 8000 Engenheiros diplomados
  • € 500.000 emprestados pelas bolsas da fundação Féron-Vraux
  • € 30.000 de orçamento

Ensino Superior

  • 300 estudantes de cursos de graduação por ano
  • 50 em formação continuada
  • 250 como aprendizes
  • 30 Masters especializados

Cursos oferecidos

São 6 as matérias principais da Indústria (estágio e TCC obrigatórios nos laboratórios):

  • Mecânica (Ciências das Estruturas, Resistência dos Materiais…)
  • Produção (Usinagem, Injeção plástica…)
  • Elétrica (Automatização…)
  • Informática (Desenvolvimento de software, Redes…)
  • Ciência dos Materiais (Estrutura dos Materiais, Ensaios Mecânicos…)
  • Energia (Mecânica dos Fluidos…)

Estratégia de abertura e presença internacional

  • 5 unidades na França, 3 no exterior.
  • Programa Erasmus manda alunos em Universidades parceiras na Espanha, na Polônia, na Inglaterra, na Alemanha, na Itália.
  • Tem também como realizar o seu “memoire” no exterior, no Canada, na China ou qualquer país que o aluno quiser.
  • ICAM na África
  • Até hoje não tem intercâmbio com o Brasil, mais é possível pedir para algum professor contatar o Gerente das Relações Internacionais, Jean-Philippe Pernet.

Diferenciais

  • Forte pensamento de pertencer a um grupo que vai num mesmo sentido, ajudando-se mutuamente, graças à formação integrada que deixa os alunos trabalharem cinco anos em projetos comuns;
  • Formação Humana baseada no ensinamento Jesuíta católico, então altruísta, que ocupa um lugar muito importante no progresso dos estudos;
  • Interação entre teoria e prática através da fábrica que há dentro do campo;
  • Inserção profissional com estágios obrigatórios.

Guillaume Duguet

Você quer estudar Engenharia na França? No IFESP, ajudamos os candidatos de todo o Brasil a montar o dossiê de candidatura para estudos e bolsas na França e a conduzir os trâmites administrativos relativos à inscrição. Planeje o seu projeto de estudo: agende uma Orientação Acadêmica.

Website | + posts

Seja o primeiro a saber

Assine nossa Newsletter

Thank you for your message. It has been sent.
There was an error trying to send your message. Please try again later.

2 Comments

  1. Evandro marques 25 de setembro de 2017 at 21:55 - Reply

    Quanto custa e oque preciso para estudar em marcelha frança

  2. DIEGO RAFAEL OLIVEIRA PINTO 5 de novembro de 2017 at 11:26 - Reply

    já existe hoje sim intercambio com Brasil , é realizado pela fei em parceria com a ICAM.

Leave A Comment

Website | + posts